Pensando em abrir um negócio próprio? Veja 11 dicas para começar

Cresce a quantidade de pessoas que desejam se tornar empreendedores, ingressando no mundo dos negócios. Será que é muito difícil abrir seu próprio negócio? Será que o retorno compensa as dificuldades? Por onde os novos empreendedores devem começar?

Primeiramente, o que se deve fazer é elaborar um plano de negócio, ou seja, fazer um planejamento adequado. A partir desse planejamento, será possível seguir as etapas corretas para abrir um negócio próprio.

Confira 11 boas dicas para ter seu próprio negócio:

1 – Utilize softwares e outros recursos

Para ajudar o empreendedor a elaborar seu plano de negócios, recomenda-se usar softwares específicos. Há ferramentas gratuitas que poderão indicar os pontos essenciais para seu planejamento. O Plano de Negócios, por exemplo, é um software gratuito do Sebrae que auxilia tanto os iniciantes quanto os empresários que já têm seu negócio e desejam aumentá-lo.

Existem também e-books e cursos gratuitos que poderão ser úteis na elaboração de seu plano, dando sugestões e ajudando o empreendedor a tomar a melhor decisão, a mais viável conforme suas aptidões e condições financeiras no momento.

2 – Conheça a área em que vai atuar

É preciso inteirar-se sobre o ramo em que vai exercer suas atividades. O conhecimento prévio é fundamental dentro de um planejamento bem elaborado e vai evitar gastos desnecessários.

Existem muitas áreas no mercado, o importante é que o empreendedor identifique-se com um segmento específico e entenda quais são as possibilidades dentro dele: confecções, alimentos, livros, educação, saúde, bebidas, culinária, decoração e assim por diante.

3 – Investigue o público

Para que seu negócio funcione, é indispensável que existam clientes, pessoas que consumam seus produtos, que utilizem seus serviços. Conhecendo melhor o mercado consumidor, o empreendedor reunirá as informações necessárias sobre como vender seu produto, a demanda existente e os pontos estratégicos melhores para a comercialização do produto/serviço.

Mais que isso, investigar o público consumidor poderá orientar o empreendedor a se decidir pelo melhor negócio — revelando, em muitos casos, que aquilo que parecia promissor é, na verdade, um mau investimento e apontando outros caminhos.

4 – Procure funcionários adequados

À medida que seu negócio cresce, torna-se mais necessária a colaboração de outros (bons) profissionais. Procure pessoas capacitadas e que tenham objetivos alinhados aos seus — assim, evitará problemas de desempenho.

5 – Pesquise fornecedores

O empreendedor precisa pesquisar sobre os melhores fornecedores, pois eles irão influenciar bastante no sucesso de seu negócio. Os fornecedores poderão disponibilizar para sua empresa diferentes itens, como máquinas, equipamentos, móveis, matérias-primas, mercadorias e até pessoas.

O empreendedor deve considerar ao pesquisar fornecedores critérios como:

  • Melhor preço;
  • Melhores opções de pagamento;
  • Pontualidade nas entregas;
  • Serviços agregados;
  • Comunicação eficiente;
  • Referências positivas;
  • Recomendações de outros empreendedores;
  • Experiência;
  • Anos de atuação.

Entenda o Mercado de Decoração de Ambientes

6 – Monitore a concorrência

Sempre haverá concorrentes. Dependendo da área escolhida, existirão muitos ou poucos concorrentes. O empreendedor deve investigar como funciona a concorrência, qual o nível de desenvolvimento dela, qual a quantidade de concorrentes, seus pontos positivos e negativos, a demanda que eles têm.

O espaço em que atuam também deve ser identificado, ou seja, o campo de abrangência dos concorrentes, assim poderá se decidir por um local mais estratégico, no qual a influência da concorrência não interfira tanto.

O empreendedor deve avaliar ainda o grau de fidelização dos clientes no mercado concorrente, já que a fidelização sai mais barata que a captação de novos clientes.

7 – Tenha cuidados na precificação

Não adianta fugir à realidade: a precificação é um fator preponderante quando se trata de conquistar ou não clientes. Quanto mais concorrido for seu negócio, mais cuidados deverá tomar ao precificar.

Por mais serviços agregados que ofereça, seu negócio é tão diferente assim do negócio de seus vizinhos para cobrar preços mais elevados? O preço que cobra é realmente justo? Dá para cobrir suas próprias despesas e satisfazer os clientes? Está tendo prejuízos com suas vendas por que o preço é muito baixo? Está perdendo clientes ou deixando de vender por causa de preços altos demais?

Considere essas e outras perguntas para proceder a uma precificação equilibrada. A precificação começa no planejamento e deve ser uma preocupação constante durante todo o período de existência da empresa.

8 – Compreenda os mecanismos de marketing

O marketing é essencial para qualquer negócio. Sem publicidade, fica mais difícil vender produtos ou oferecer serviços. O marketing, atualmente, divide-se em dois tipos: o tradicional e o digital. O ideal é que sejam utilizadas as duas modalidades, sempre lembrando que os recursos digitais podem representar gastos bem menores e atingir um público ainda maior — isso quando bem manipulados.

As mídias tradicionais são o rádio, a televisão, o jornal impresso, os carros e outros veículos de som e assim por diante. Já as digitais incluem e-mails, redes sociais, blogs, sites, plataformas específicas e outras ferramentas.

Para efetuar uma campanha eficiente de marketing, é preciso considerar quatro pilares:

  • Produto/serviço;
  • Pontos de venda;
  • Promoção;
  • Preço.

9 – Disponha de um ciclo operacional eficiente

Para que as atividades na empresa funcionem, é necessário um ciclo operacional eficiente. Esse ciclo está diretamente relacionado ao segmento em que atua e inclui equipamentos e máquinas de trabalho, profissionais especializados, capital de giro, eventuais sócios e parceiros, fornecedores de matérias-primas/produtos e até um sistema automatizado de gestão que agilize os processos e o intercâmbio de informações.

O desempenho do ciclo operacional influirá na satisfação do cliente e na lucratividade de seu negócio.

10 – Faça projeções

O empreendedor deve também realizar projeções do volume de produção e de vendas, levando em conta a demanda, a capacidade de recursos de sua empresa, a suficiência de funcionários, os tipos de mercadorias ou serviços que disponibiliza e a atualização do mercado.

Nem sempre é fácil fazer projeções, mas é uma forma eficiente de evitar prejuízos e outras surpresas desagradáveis, como a perda de clientes e a defasagem do tipo de produto.

11 – Realize avaliação financeira

Sem capital financeiro, seu negócio jamais se tornará real. A análise financeira implica em calcular os custos iniciais do projeto (equipamentos, mão de obra, materiais), o que será necessário para manter o negócio e as possibilidades de lucro em médio e longo prazo.

O capital de giro permitirá que a empresa tenha início e se mantenha em funcionamento.

Já abriu seu próprio negócio? Que dificuldades está encontrando? Já começou a fazer seu planejamento? Compartilhe suas ideias! Faça seu comentário nos espaços a seguir!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"