Como lojas de móveis podem fazer parcerias de sucesso?

O que significa fazer uma parceria de sucesso? Para uma empresa, trata-se de uma negociação capaz de trazer benefícios para os dois lados, permitindo que os envolvidos aumentem sua lucratividade direta ou indiretamente.

Muitas parcerias ajudam as partes a atingir seus potenciais clientes e, portanto, vender mais. Quer saber como a sua loja de móveis pode fazer parcerias que vão trazer esses resultados? Então, confira nossas dicas.

Faça parcerias com construtoras

Uma das melhores parcerias para uma loja de móveis são os empreendimentos de construção civil.

Todas as pessoas que compram uma casa ou apartamento são potenciais clientes para o segmento de móveis e decoração, em maior ou menor grau. Parte dessas pessoas vai precisar apenas de alguns itens na hora de ocupar o imóvel, enquanto outra parte vai comprar a mobília completa para seu novo lar.

Se você está em dúvida, aqui vão alguns números bastante atrativos:

  • Segundo dados divulgados pelo Diário do Grande ABC, em 2008, uma parceria com construtoras pode elevar as vendas de móveis em até 30%;

  • Quem compra uma casa ou apartamento tende a gastar, na compra da mobília, o equivalente a uma faixa de 10% a 20% do valor do imóvel. Ou seja, se o cliente fechou a compra de uma casa por R$500 mil, ele pode gastar ainda mais R$50 a R$100 mil em móveis.

Considerando tais números, associados à visível recuperação do setor de construção civil, tudo indica que esse é o momento certo para você traçar uma estratégia, fazer parcerias e abocanhar essa fatia do mercado — antes que a concorrência faça o mesmo.

Agora, resta apenas uma pergunta: como desenvolver as parcerias na prática?

Forneça móveis para os apartamentos que já são vendidos mobiliados

Uma das formas de estabelecer uma parceria com as construtoras é fornecendo os móveis para apartamentos que são vendidos mobiliados.

Alguns clientes não têm a disponibilidade necessária para organizar pessoalmente a decoração de seu novo apartamento; para eles, comprar um imóvel mobiliado é positivo, pois traz maior praticidade.

Na visão da construtora, o estabelecimento dessa parceria com sua loja será vantajoso, permitindo a captação dos clientes que apresentam esse perfil. Para a sua loja, a vantagem também é clara: nem será preciso conquistar o cliente, pois a relação já estabelece que, em todos os imóveis mobiliados vendidos, você será o fornecedor da mobília.

O único problema dessa estratégia é que a oferta de imóveis mobiliados ainda é mais restrita, não é uma prática tão comum.

Geralmente, as unidades vendidas com mobília são aquelas destinadas à visitação. Portanto, vale a pena complementar essa estratégia com as outras duas que você vai aprender abaixo.

Forneça móveis para os apartamentos de visitação

Outra forma de estabelecer parceria com as construtoras é simplesmente fornecendo os móveis para os apartamentos usados para visitação. Esses apartamentos apresentam uma possibilidade de decoração e servem para que o cliente consiga visualizar melhor como o imóvel vai ficar depois de pronto.

Nesse tipo de parceria, não há garantia de que o cliente irá escolher a sua loja para comprar a mobília. Porém, a exposição que seus produtos recebem é muito grande. É possível, inclusive, que o cliente não compre o imóvel, mas goste dos seus móveis e procure sua loja diretamente.

Essa também é uma forma de parceria vantajosa para a construtora. Segundo especialistas como Rosana Carnevalli, diretora regional do SINDUSCON-SP, muitas pessoas fazem a decisão de compra do imóvel depois de visitar uma unidade decorada.

O apoio da sua loja, com sua expertise em decoração, para criar um ambiente que encante as pessoas, vai ajudar a construtora a fechar mais negócios.

Depois que o empreendimento acabar, não se esqueça de que será preciso dar um destino aos móveis usados na unidade de visitação. Você pode fazer um acordo com a construtora, para que esses móveis sejam vendidos junto com a própria unidade.

Outra opção é vender os móveis à construtora, para que os reutilize nos próximos empreendimentos. De qualquer forma, uma venda já está garantida.

Desenvolva programas de promoção para clientes da construtora

Você pode não fornecer os móveis para os apartamentos, nem expor seus produtos na unidade decorada; mesmo assim, um bom desconto e facilidade no pagamento ainda vão atrair muitos dos clientes até a sua loja.

Afinal, após gastar uma soma alta no imóvel, essas pessoas estarão buscando formas de economizar na mobília. Portanto, oferecer promoções aos clientes da construtora também é uma estratégia inteligente de parceria.

Formas de melhorar essa parceria

Porém, essa parceria não traz muitas vantagens para a construtora, que não ganha nada ao indicar sua loja. Esse não é o cenário ideal, como frisamos no começo. Para ter sucesso, é preciso que os dois lados envolvidos colham algum benefício.

Uma sugestão para melhorar essa parceria é trocar a mobília da unidade decorada pela ajuda da construtora para divulgar sua loja aos clientes.

A divulgação pode ser feita, por exemplo, através de um coquetel. O interessante dessa estratégia é que a construtora pode ajudar sua loja a identificar e convidar apenas os clientes que possuem um determinado perfil.

Esse afunilamento permitirá que você estabeleça contato com quem realmente interessa: Aquelas pessoas que possuem um perfil de consumo mais adequado ao posicionamento de mercado da sua loja.

É importante estar atento ao tempo em que esse coquetel — ou outras ações de divulgação — será realizado. Segundo empresários do ramo de construção civil, a melhor época é 20 meses antes de os compradores de imóveis receberem as chaves da casa ou apartamento.

Melhor momento para prospecção

Sua loja de móveis precisa fazer o primeiro contato com o cliente nesse período, a fim de que haja tempo hábil para a negociação, decisão de compra e até mesmo para a entrega dos móveis em uma data próxima à entrega do imóvel.

Felizmente, como empreendimentos imobiliários possuem um cronograma altamente organizado para entrega, é fácil alinhar suas atividades de divulgação com esse prazo.

Ao apresentar sua loja aos clientes da construtora, reforce as promoções que está oferecendo. Sugerimos, por exemplo, que você ofereça 10% de desconto na compra dos móveis ou um parcelamento mais suave, com prazo maior para o pagamento.

Tenha em mente que esses clientes já estão arcando com as parcelas do financiamento do imóvel e, para eles, preço e prazo serão fatores tão relevante quanto a qualidade do seu produto.

Você tem outras ideias para fazer parcerias de sucesso com construtoras e aumentar as vendas? Então, colabore com esse artigo e deixe sua sugestão nos comentários abaixo.

Conheça 6 opções para investir seu dinheiro em 2016

Em 2016, a previsão dos especialistas que vem se concretizando é a de que este ainda será um ano difícil por causa dos impactos da crise econômica e política do Brasil. Entretanto, a época pode ser perfeita para fazer alguns investimentos e garantir que o seu dinheiro trabalhe para você.

Para escolher as opções corretas de onde investir seu dinheiro, entretanto, é preciso levar em consideração o panorama geral e as características de cada investimento. Conheça a seguir 6 opções para investir seu dinheiro em 2016.

Onde investir seu dinheiro?

1) Certificado de Depósito Bancário – CDB

Para conceder empréstimos e financiamentos, os bancos precisam captar dinheiro. Essa captação acontece justamente por meio do Certificado de Depósito Bancário – CDB -, que serve para financiar as operações de um banco em troca de rentabilidade para o investidor.

Essa opção possui rentabilidade atrelada ao CDI e geralmente aparece em forma de porcentagem. Bancos maiores são mais seguros e, por isso, normalmente oferecem uma porcentagem menor do CDI. Já bancos menores, como de pequeno e médio porte, têm mais dificuldade de captar recursos e mais riscos. Com isso, a rentabilidade também é maior.

Esse investimento é uma boa opção para 2016 porque ele possui rentabilidade acima da inflação e tem garantia de até R$ 250 mil do Fundo Garantidor de Crédito (FGC). Além disso, com alguma pesquisa e apetite ao risco, é possível encontrar opções mais vantajosas e mais rentáveis.

A cobrança de Imposto de Renda, por sua vez, é feita segundo a tabela regressiva do IR: quanto maior o tempo de aplicação, menor o imposto a ser pago, que varia de 15 a 22,5%.

2) Tesouro Direto

Outra opção para investir seu dinheiro em 2016 é o Tesouro Direto. Nesse tipo de investimento, você adquire títulos públicos que servem para financiar diferentes ações do governo. Nesses casos, você se torna credor do governo, e como os riscos de não pagamento são baixos, o investimento tende a ser mais seguro.

O Tesouro Selic – ou LFT – tem um rendimento de acordo com a taxa básica de juros da economia. Como a taxa de juros em março de 2016 foi mantida em 14,25%, esse investimento é bastante adequado para obter uma boa rentabilidade mesmo em um período de dificuldade econômica.

A principal desvantagem desse investimento, entretanto, diz respeito à liquidez, já que vender o título antes do tempo pode fazer com que você perca dinheiro. Além disso, a cobrança do Imposto de Renda também é feita de acordo com a tabela regressiva do IR.

3) Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e Letra de Crédito do Agronegócio (LCA)

A Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e a Letra de Crédito do Agronegócio (LCA) são investimentos que servem para financiar operações imobiliárias e do agronegócio, respectivamente.

Elas também possuem rentabilidade de acordo com o CDI e garantia de investimento até R$ 250 mil pelo FGC, mas a grande vantagem é que elas são isentas de Imposto de Renda, o que melhora a sua rentabilidade – e são até mesmo chamadas de “CDB isentos”.

O único problema é que esses papéis podem ser mais raros, e, com isso, o investimento inicial necessário pode ser maior. Algumas LCA, por exemplo, têm investimento inicial de R$ 100 mil, o que dificulta o acesso de investidores menores a essas opções.

Entenda o Mercado de Decoração de Ambientes

4) Fundos imobiliários

O mercado imobiliário está relativamente estagnado no Brasil em 2016 devido à falta de crédito e incertezas sobre a economia. Apesar disso, pode ser uma boa opção investir o seu dinheiro em fundos imobiliários este ano.

Esses fundos funcionam como um condomínio: cada investidor paga uma cota e, junto, todo o dinheiro é movimentado e alocado em diferentes opções imobiliárias, como para financiar o setor ou mesmo investir diretamente em imóveis. Esse tipo de investimento acaba reduzindo relativamente os riscos corridos ao fazer um investimento em imóveis e é isento de Imposto de Renda.

Por outro lado, a situação desfavorável do mercado imobiliário pode levar a uma desvalorização desses títulos. A taxa de administração, e por vezes de performance, cobrada pela corretora também influencia a rentabilidade.

5) Debêntures

As debêntures são investimentos que servem para financiar as operações de empresas privadas. Em vez de pagarem os juros dos financiamentos nos bancos, muitas empresas preferem pagar juros fixados por elas para remunerar investidores que adquirem debêntures.

A rentabilidade é definida pela própria empresa, que também estabelece como será feito o pagamento. Por um lado, isso é uma vantagem, já que o investidor pode procurar as melhores opções para os seus objetivos. Também é uma vantagem o fato de que esse é um investimento de renda fixa em empresas privadas com boa rentabilidade, sendo uma alternativa para o investimento em ações.

Por outro lado, esses investimentos normalmente não têm garantia, o que aumenta o seu risco. As incertezas do mercado colocam as empresas sob maior risco, e, dependendo da empresa, uma piora no panorama econômico pode levar ao não pagamento do que é devido aos investidores.

Elas também são tributadas de acordo com a tabela regressiva do IR, mas as debêntures incentivadas, como de infraestrutura, são isentas desse pagamento.

6) Poupança

Falar em poupança como investimento para 2016 é relativamente polêmico, porque com a inflação disparada o rendimento dessa opção simplesmente não acompanha esses níveis. Como resultado, existe uma perda de poder de compra entre quem investe na poupança em uma situação econômica desfavorável.

Em longo prazo, pode ser uma opção relativamente vantajosa, já que as perdas de um ano podem ser compensadas em outro. Para 2016, a poupança deve ser um investimento apenas para curto e curtíssimo prazo ou quando não houver qualquer outra opção, já que há investimentos mais interessantes e tão seguros quanto ela.

Falando em segurança, esse é um dos atrativos da poupança, que tem garantia do FGC. Também é uma opção que tem muita liquidez e flexibilidade, além de ser isenta do Imposto de Renda. Porém, sua baixa rentabilidade, especialmente em tempos de juros e de inflação alta, faz com que essa seja uma opção bem menos atrativa do que as demais.

Para investir seu dinheiro em 2016, você tem uma série de opções, especialmente investimentos de renda fixa. Desde os que aproveitam as condições econômicas até aqueles que oferecem mais segurança, os tipos de investimento listados acima podem ajudá-lo a construir patrimônio e a manter seus recursos rentáveis.

E você, já investe seu dinheiro em alguma dessas opções? Aproveite para compartilhar o post nas redes sociais e garantir que mais pessoas conheçam sobre os melhores investimentos!